“É puro vazio e redondo.”

Ontem, a Anacom acusou as empresas associadas à venda de serviços de Internet, televisão e telefone de reduzir a qualidade dos serviços e aumentar os preços. Os clientes não gostaram, mas as empresas reagiram.

Depois de a NOS ter vindo a confirmar que a notícia não coincidia com a verdade, a Altice Portugal deixou também um comunicado a esclarecer a situação e acusou a ANACOM de não dizer a verdade.

MEO, NOS e Vodafone aumentam preços e reduzem a qualidade dos serviços, Isso é o que nós escrevemos Ontem depois de uma chamada a ANACOM enviou Pplware. Na transcrição, pode ler-se que entre outubro e novembro de 2020, os três maiores prestadores de comunicações eletrónicas em Portugal (MEO, NOS e Vodafone) aumentaram a mensalidade das suas ofertas core “Triple Play” em 3,3% (+1) euros).

Além disso, foi sugerido que o aumento de preços ocorre ao mesmo tempo e na mesma proporção, sendo muito superior à taxa de inflação. Desde 2018, não existem diferenças nas mensalidades para este tipo de oferta e são ofertas ainda mais desfavoráveis ​​quando comparadas com a média internacional.

A Altice Portugal, tal como a NOS, já se manifestou sobre estes dados. A MEO concluiu que tudo é mentira e acusa a ANACOM de não cumprir o seu papel de regulador, “há 3 anos que não faz qualquer estudo de mercado ou de preços, mas com dados totalmente alheios ao sector”.

Altice Portugal:

    A Altice Portugal, por motivos de seriedade e defesa da sua boa reputação, bem como do sector das telecomunicações em Portugal, fica obrigada, uma vez mais, a responder a outro apelo da ANACOM devido à sua gravidade.

    Assim, a Altice Portugal explica:

    A afirmação da ANACOM sobre o aumento de preços para os seus clientes nada mais é do que pura falsidade.

    Em nada se constata que tenha havido alguma queda na qualidade do serviço prestado pela empresa ao mercado.

    Os termos a que se refere a ANACOM não se aplicam aos clientes existentes.

    Reafirmamos que Portugal é um dos países da União Europeia onde os pacotes de telecomunicações são os mais atractivos, conforme afirma o estudo do IDES, publicado pela Comissão Europeia.

    Lamentamos que, mais uma vez, com base na falta de provas, o regulador do setor tente manipular o país com afirmações infundadas destinadas apenas a manchar a imagem desta empresa que investe centenas de milhões de euros anualmente no nosso país e emprega cerca de 20 mil pessoas.

    Há cerca de 3 anos, a ANACOM não realizou estudos de mercado ou de preços, mas sim utilizando dados totalmente alheios ao setor.

    Assim, depois de a ANACOM ter insistido, já há três anos, em confirmar e defender as teses sem qualquer estudo ou prova oficial, fiável e de acordo com os fundamentos, a Altice Portugal lançou o desafio para que apareça pela primeira vez em que estudo ou evidência em que assentam as suas afirmações. À semelhança da prática de outras entidades, nacionais e internacionais, criticar abertamente o regulador e regulador em Portugal, através de estudos concretos e publicados ou análises de mercado, em Matéria Económico - Financeira.

    Lamentamos também que, pelas mãos da actual liderança da Anacom, Portugal, que sempre esteve na vanguarda do desenvolvimento e implementação de novas redes de comunicações fixas e móveis, já esteja hoje na vanguarda da Europa, prejudicando a competitividade do país, no que se refere a indicar o lançamento da nova tecnologia 5G, durante o seu lançamento Outros 17 países da comunidade europeia já possuem suas redes.

READ  A bola - Valencia CF: Miguel Oliveira é sexto e já existe um campeão do mundo (MotoGP)
Written By
More from Arzu

Projetor O cancro do pâncreas mata cerca de 1.600 pessoas todos os anos em Portugal

A Associação Europacolon alertou para a importância do diagnóstico precoce do cancro...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *