Natural de Famalicão, o vereador veio muito cedo para Oliveira de Azeméis. Natural de Famalicão, o vereador veio muito cedo para Oliveira de Azeméis.

Hélder Simões: “gosto e serviço à causa pública”

Por / Política / segunda, 05 fevereiro 2018 17:01

O vereador da Câmara de Oliveira de Azeméis esteve à conversa com o CidadesOnline.

Nascido em Famalicão, mas oliveirense de gema, Hélder Martinho Valente Simões, 38 anos, sente e vive Oliveira de Azeméis desde tenra idade. Desde cedo esteve ligado às causas públicas, “mais não seja por vicissitude familiar”, já que foi o pai, Amaro Simões, presidente da Junta de Freguesia de S. Roque, que sempre lhe incutiu esse gosto. “Assimilei muito daquilo que sou hoje por transmissão familiar. Os princípios que me norteiam advêm dos exemplos que sempre fui tendo em casa, na minha formação”.

Em 2001 e “na sequência dessa vivência cívica”, o agora vereador entra para a Assembleia Municipal, da qual faria parte durante oito anos, quatro deles acumulados com o exercício de funções na Junta de Freguesia de S. Roque. Em 2009, passa a fazer parte da vereação do executivo da Câmara de Oliveira de Azeméis, pela oposição, o que lhe deu “um conhecimento muito transversal de todas as áreas da governação do município, dos dossiers da autarquia e dos grandes problemas que a autarquia vive”. Em 2017, torna-se vereador, pelo Partido Socialista, do município oliveirense.

Igualdade entre autarquias

“Não creio que possamos tirar ou perder dividendos pelo facto de uma autarquia ser gerida pela mesma cor de um governo”, refere Hélder Simões a propósito da nova cor política do município. O socialista acredita que da mesma forma que a autarquia vai procurar tratar todas as nossas juntas de freguesia por igual, independentemente da cor partidária, o governo central também o fará relativamente a todas as câmaras municipais. “Conhecendo-se os actores políticos, poderá haver alguma facilidade de comunicação, mas eu quero acreditar que as decisões são tomadas por critérios de racionalidade e de necessidade dos municípios e não em função de ‘amiguismos’”, sublinha.

TUAZ

O TUAZ é um dos sectores do município que apresentam “algumas lacunas”. “Não terá porventura os horários adequados. Estamos a analisar com a Área Metropolitana do Porto a questão do TUAZ porque temos algumas questões acerca da licença de funcionamento do próprio transporte”. Hélder Simões gostaria também de alargar a área de influência e de estudar o reordenamento do TUAZ, garantindo também que a autarquia tem agendada para breve uma reunião com o operador do TUAZ cujo objectivo é auscultar a sensibilidade do mesmo. “Vamos também reunir com as juntas de freguesia, nomeadamente com a Junta de Freguesia de Oliveira de Azeméis, para definirmos um novo traçado que procure ir ao encontro das aspirações dos oliveirenses”.

Transportes

“A zona nordeste do concelho sempre esteve muito ligada a S. João da Madeira, mais não seja pelas vias de ligação que já estão criadas e implementadas no terreno”, aponta. Segundo Hélder Simões, o facto de não se ter conseguido concluir a Via do Nordeste ao fim de 15 anos tem as suas consequências. “Desabituámos durante muitos anos as pessoas do nordeste a vir ao centro da cidade. Temos que criar dinâmicas e fazer com que todos os oliveirenses e não só aqueles que gravitam em torno do centro da cidade se sintam oliveirenses”, afirma.

“PSD votou contra as próprias medidas”

“Prometemos e cumprimos no que diz respeito ao aumento de 15% para as juntas de freguesia”, salienta igualmente Hélder Simões. “Tínhamo-lo anunciado em campanha eleitoral. Isso é objectivo e foi isto que foi decidido e aprovado”, afirma. Para o socialista, haverá condições para no futuro reforçar tais transferências, acompanhadas de mais alguma delegação de competências. “O futuro será transferirmos mais verbas para as juntas de freguesia para que eles na sua política de proximidade possam gerir melhor esses recursos e aplicá-los de forma mais criteriosa, libertando a autarquia para um conjunto de tarefas mais ‘macro’ e de gestão municipal”. Hélder Simões defende que as juntas de freguesia devem ter, enquadrado na legislação em vigor, mais poderes e mais meios. “Se isso é possível alcançar, com todas as juntas de freguesia, no mesmo nível de cooperação, não sei”.

Quanto ao voto do PSD contra o orçamento municipal, o vereador afirma que o Partido Social Democrata decidiu censurar-se a ele próprio. “Se não há uma alteração substancial do quadro orçamental, este orçamento respeitou um conjunto de compromissos que vinham do passado. Grande parte do investimento estava condicionado a decisões tomadas pelo executivo anterior e nós demos sequência a esses compromissos”, esclarece. Hélder Simões é peremptório: “votaram contra as suas próprias medidas”.

Questão da CERCIAZ é “falso problema”

“A cessação do acordo com a CERCIAZ é um falso problema”, considera o vereador. Segundo este, quando o actual executivo chegou à Câmara foi confrontado com um conjunto de questões “que do ponto de vista legal não tinham enquadramento”. “O interesse público tem de estar documentado em regulamentos. Nem tudo pode ser justificado como interesse público”, refere. De acordo com o socialista, é preciso adequar os subsídios à realidade, num quadro de cooperação com todas as instituições. É intenção do executivo estabelecer os protocolos e acordos que entender necessários com todas as instituições que desempenham funções de interesse público em Oliveira de Azeméis. “Temos de procurar critérios objectivos que sejam do conhecimento de todos e que sejam entendíveis por todos”, acrescenta.

Prioridades para 2018

O vereador afasta igualmente a possibilidade de o Oliveirense ter um estádio municipal nos próximos quatro anos. “Não me parece uma questão para a qual o município seja capaz de dar uma resposta neste mandato. Acho que não vale a pena criar expectativas nesta matéria”. A esse propósito, Hélder Simões fala de um município com um défice de 40 milhões de euros para investir na rede de água e saneamento. “Estou convencido que esta é a prioridade das prioridades. Preferimos manifestamente fazer mais do que aquilo que anunciamos do que anunciar muito e concretizar pouco”, aponta.   

Segundo Hélder Simões, o ano de 2018 vai estar “muito alavancado”, em termos de investimento, nas requalificações da Escola Secundária Ferreira da Silva em Cucujães e da Escola Secundária de Fajões. “Consome grande parte da parcela de 7 milhões de euros que nós temos para investir”. Além disso, há o compromisso de investir cerca de 2,5 milhões de euros em redes de água que dotarão grande parte do que falta da freguesia de Cucujães, S. Martinho da Gândara, Travanca, parte de Ul e parte de Loureiro de uma taxa de cobertura “muito significativa” em termos de água.

Além destas obras, o executivo vai procurar afectar verbas “significativas” que permitam ao município resolver problemas estruturais no seu edificado público. “Temos de procurar solucionar este problema até para intervir em alguns edifícios e dotá-los de capacidade para albergar serviços que hoje estão em espaços arrendados”.  

Deixe um comentário

Aveiro

Nublado
13°C
N a 17.70 km/h /60%
Segunda
6°C / 15°C
Terça
5°C / 17°C
Quarta
4°C / 16°C
publicidade
  • Popular
  • Comentários

Please publish modules in offcanvas position.