Clube de Campismo de São João da Madeira: Seis décadas a apoiar o campismo e desporto

Por / Entrevistas / terça, 22 março 2016 00:00

O Clube de Campismo de São João da Madeira possui já 62 anos de existência, tendo como atividades principais a promoção do campismo e possuindo várias atividades desportivas, desde o atletismo ao ténis de mesa, pesca desportiva, montanhismo e cicloturismo. A competição em algumas destas modalidades permitiu uma magnífica sala de troféus que traduz a força e longevidade desta coletividade. Joaquim Pinote é o atual presidente do clube que tenta, com os recursos financeiros à sua disposição, continuar a servir os seus sócios e atletas. José Lima é o Diretor Desportivo que acumula com o cargo de responsável pelo ténis de mesa.

Pode falar-nos um pouco de si e há quanto tempo exerce estas funções?

Como Presidente é o primeiro mandato, mas estive 14 anos como diretor administrativo. Nós habituamo-nos a isto e infelizmente as pessoas não podem ou não têm disponibilidade para ajudar. É sempre difícil arranjar uma lista para concorrer.

Nestes 18 anos de atividade onde é que sentiu maiores diferenças?

No parque de campismo do Furadouro que já foi inaugurado há 40 anos, que não tinha as infraestruturas que tem hoje, foi criada uma receção invejável, um bloco social com café, restaurante e sala de jogos. Ou seja uma estrutura devidamente equipada com tudo. O parque também dispõe duma zona ao ar livre devidamente coberta, com palco com as condições necessárias para promover a cultura, teatro, animação e bailes. Está também equipado com quatro recintos desportivos. Só para se ter uma noção este parque tem 33 hectares.

Na sede foram construídos blocos sanitários com algum conforto e material moderno. Aos poucos tem sido substituído o material velho por novo. Os banhos têm sempre água quente, 24 horas por dia.

Quais são as infraestruturas que o clube possui?

Possuímos o parque de campismo do Furadouro em Ovar, esta sede em São João da Madeira inaugurada em 2003, que não tínhamos e que veio substituir uma sede alugada que não apresentava o mínimo de condições. Efetivamente o clube comprou a sede com as receitas que tem, na sua maioria provenientes do parque de campismo. Orgulhamo-nos de não devermos nada a ninguém.

Temos ainda uma casa abrigo em plena Serra da Freita. Comprámos essa casa florestal que se encontrava bastante danificada, nem sequer tinha teto. Remodelámos a mesma mantendo a traça original e quatro quartos, o que é uma situação invejável. Tem também cozinha com lareira e água quente no interior. No exterior existem blocos sanitários para homens e senhoras, lava-louças e churrasqueiras protegidas. Dá para 31 pessoas dormirem, não contando com o espaço exterior.

 

 

[gallery title="" width="200" height="120" columns="3"]

[gallery_item title="Sala de Troféus" src="/images/sjmadeira/salaTrofeu3Web.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #1[/gallery_item]

[gallery_item title="Sala de Troféus" src="/images/sjmadeira/clubeCampismosWeb3.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #2 [/gallery_item]

[gallery_item title="Sala de Troféus" src="/images/sjmadeira/salaTrofeu2Web.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #3 [/gallery_item]

[/gallery]

Pode falar-nos um pouco da história do clube e dos seus marcos principais?

O clube nasceu a 08 de Agosto de 1953. O parque de campismo do Furadouro tem 40 anos e foi construído posteriormente numa propriedade que nos foi concessionado na altura pela Câmara Municipal de Ovar, mas o terreno não tinha qualquer tipo de estruturas de saneamento, luz ou água. Os associados da altura foram aos fins de semana desbravando o terreno com a sua força e a obra foi sendo construída devagarinho, tornando-se num parque invejável a nível nacional, com uma frequência muito boa.

Como está a prática do campismo atualmente?

Tem havido um decréscimo de praticantes. O campismo vive uma fase complicada, a juventude não tem aderido ao campismo. Naquela zona do Furadouro não há eventos e a juventude acaba por ir para o litoral ou sudoeste onde há atrativos. Esta zona é complicada, e o mar tem roubado terreno ao parque. Cada vez temos menos praia o que torna complicado para cativar campistas.

Neste parque qual é a taxa de ocupação?

Apesar destes problemas temos uma elevada taxa de ocupação que se traduz em perto de 1000 alvéolos ocupados ao longo do ano. As pessoas têm lá o equipamento montado e podem estar lá todo o ano ou só frequentarem o parque quando o entenderem, existindo meses em que nada pagam. Ao contrário de outros parques, o nosso está aberto todo o ano.

O bar está aberto para quem quiser tomar o seu café, temos sempre funcionários da limpeza e todos os serviços estão sempre em pleno funcionamento mesmo na época baixa. Temos 28 funcionários efetivos, 25 no parque e 3 na sede em São João Madeira. Na época alta é necessário contratar alguns funcionários para darem apoio na receção do parque ou para limpeza porque a afluência é maior.

[gallery title="" width="200" height="120" columns="3"]

[gallery_item title="Sala de Reuniões" src="/images/sjmadeira/salaReunioesWeb.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #1[/gallery_item]

[gallery_item title="Colaboradores do Clube" src="/images/sjmadeira/funcionariosWeb.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #2 [/gallery_item]

[gallery_item title="Área para a futura estação serviço para auto-caravanas" src="/images/sjmadeira/clubeCampismosWeb6.jpg"] Clube Campismo de São João da Madeira #3 [/gallery_item]

[/gallery]

Quais são as atividades com maior destaque neste parque?

Os acampamentos nacionais anuais, onde recebemos campistas de todo o país. Já fizemos também dois acampamentos ibéricos em conjunto com a Federação Espanhola. Temos condições para albergar todas as pessoas porque temos uma grande zona verde com os espaços adequados. E quando digo zona verde é mesmo uma grande mancha florestal onde as pessoas têm contacto direto com a natureza.

Enquanto no Furadouro têm, como já disse, o parque de campismo, é na sede que está a força desportiva?

Sim, temos o atletismo com 73/74 atletas, devidamente inscritos em vários escalões, 12 na pesca desportiva, 21 no ténis de mesa, 11 seniores e 10 nos escalões inferiores e 43 no cicloturismo. Temos o montanhismo em que quase todas as semanas o seccionista organiza caminhadas, em que consegue juntar 50 a 70 pessoas. Neste passado fim de semana houve uma caminhada na Serra da Freita, pelos percursos devidamente sinalizados.

Quem é que assegura o transporte para os locais das provas?

É o clube. Para isso temos três carrinhas de nove lugares, uma carrinha de cinco e uma de sete lugares para darem todo este apoio ao transporte para provas quer a nível local, regional ou nacional, percorrendo milhares de quilómetros durante todo o ano. E tudo por carolice, principalmente do seccionista. Todas as secções têm um orçamento e a direção não interfere nas provas a que devem ir nem no seu calendário.

Leia a segunda parte da entrevista.

Deixe um comentário

  • Popular
  • Comentários

Please publish modules in offcanvas position.