O Open Azeméis é um evento “muito importante” para Oliveira de Azeméis, diz João Moreira. O Open Azeméis é um evento “muito importante” para Oliveira de Azeméis, diz João Moreira. Miguel Almeida

“O ténis é uma modalidade acessível a qualquer pessoa”

Por João Araújo/ Pedro Lopes / Outras Modalidades / sexta, 29 setembro 2017 09:57

João Moreira, vice-presidente do Clube de Ténis de Azeméis (CTA), João Moreira, fala sobre o ténis, o clube e o torneio Open Azeméis.

“Não acho que este seja um desporto de elite. Foi considerado como tal há muitos anos. Mas essa ideia está hoje completamente desmistificada”, afirma João Moreira, vice-presidente do CTA, numa altura em que a cidade de Oliveira de Azeméis e o clube acolhem a quarta edição do torneio internacional de ténis Open Azeméis, que começou no passado dia 23 de Setembro e acaba sábado.

O torneio é, de acordo com João Moreira, um evento “muito importante” para Oliveira de Azeméis. Trata-se de uma iniciativa que traz retorno económico e que constitui uma oportunidade para as pessoas entrarem em contacto com a modalidade, considera o responsável. “Como este é um evento de entrada livre, acho que faz todo o sentido que as pessoas e a cidade se mobilizem”, refere, explicando que a prova de qualificação que se jogou nos passados dias 23 e 24 de Setembro abrangeu um quadro competitivo de 64 atletas. “Já o quadro principal do torneio é sempre disputado por 32 atletas de diferentes nacionalidades”.

Torneio sem a estrela da casa

Há neste torneio uma ausência notória. “O João Domingues não participa nesta edição porque este torneio é da categoria ITF Futures”, sublinha o vice-presidente. Segundo este, os torneios profissionais são divididos em três categorias, existindo, para além da ITF Futures, a categoria ATP challengers e o circuito ATP profissional. “O João Domingues tem neste momento um ranking que lhe permite ‘subir de divisão’ e já está a jogar ATP challengers e qualifyings de torneios ATP 250”, destaca. 

Para João Moreira, esta é uma prova constituída por um misto de juventude e experiência, residindo parte dessa experiência em dois jogadores belgas, Yannick Mertens, finalista do torneio do ano passado, e Niels Desein, que já esteve no top 150 do mundo. Quanto a atletas portugueses, o evento vai contar com a presença de João Monteiro e de Frederico Gil. 

Um desporto aberto a todos

De acordo com o responsável, o ténis é hoje um desporto de massas, com um crescente número de praticantes. “Em Portugal temos cada vez melhores jogadores”, afirma, ao mesmo tempo que considera que no CTA se tem procurado uma adaptação aos novos tempos. Modernizar a gestão do clube e tentar chegar o mais possível junto dos jovens das escolas são dois dos objectivos. “Tentamos captar mais miúdos para a prática de um desporto que é saudável, bem aceite e que transmite valores que são bons para os jovens”.

No âmbito das estruturas, tem sido feita “muita manutenção” nos courts do CTA, sendo que os pisos já são velhos e os campos mais antigos têm mais de 30 anos. “Estamos a precisar de renovar os pisos dos campos para que não haja uma degradação total”. 

Melhoramentos custam 12 mil euros por court

Para os pisos serem melhorados é preciso fazer uma obra de reestruturação, refere João Moreira. “É preciso ver quais são os pisos actuais que melhor se enquadram naquilo que é já a estrutura existente. Estamos a falar de cerca de 12.000 euros por court. Neste momento temos sete courts”, esclarece. 

O CTA concorreu recentemente a um programa do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), que visava a melhorias das instalações desportivas, mas a candidatura não foi aceite. O Clube sabe, contudo, que possivelmente no próximo ano vai haver uma segunda oportunidade. “Parece-me que há orçamento para fazer um novo projecto de candidatura e, se assim for, nós lá estaremos. Se não conseguirmos, o teremos de trabalhar sozinhos à procura de fontes de financiamento para tentar reabilitar as instalações”. 

Ao nível das instalações sociais e segundo João Moreira, tem-se melhorado a oferta de bar e restaurante, que está neste momento a funcionar de Segunda a Domingo, “com a oferta de refeições a preços atractivos e com uma qualidade que justifica a visita”. 

Mais valências

Também foram aumentadas as valências do clube com um personal trainer que trabalha no ginásio das instalações. “Fizemos a remodelação dessas instalações e ele está a usufruir do espaço. O nosso objectivo é ir alargando o espectro do que o CTA tem para oferecer, para além do ténis em si”.

A sobrevivência do CTA tem sido “muito difícil”, conta o vice-presidente. “Nos últimos anos temos conseguido sobreviver apenas com patrocínios próprios”. 

No presente ano, o CTA quis “oferecer mais” e elevar o nível do torneio, oferecendo também a estadia a todos os jogadores do quadro principal. “Sendo assim, decidimos abraçar o apoio da Federação Portuguesa de Ténis, que este ano é muito maior do que tem sido nos últimos anos, devido a diversas parcerias que a Federação conseguiu com algumas entidades”. 

Segundo o responsável, o apoio foi aceite de bom grado, apesar de as contrapartidas “possivelmente não serem as melhores para o clube”. Existem, todavia, os patrocinadores que o CTA conseguiu fidelizar “quase desde a primeira edição”. “Têm sido sempre fiéis, apoiando e acreditando no projecto”, vinca.

Deixe um comentário

Aveiro

Nublado
15°C
SE a 11.27 km/h /92%
Sexta
16°C / 21°C
Sábado
12°C / 18°C
Domingo
8°C / 18°C
pub
Pneus Corujo
  • Popular
  • Comentários

Please publish modules in offcanvas position.